TITO IGLESIAS

ANTES QUE DO DESCONHECIDO SURJA
A INEVITÁVEL AVE DE RAPINA...
Tito Iglesias
Lisboa, Edições Vela Branca, 2008

INDEX

CHOVE OUTRO ENIGMA, EM COMPOSTELA

Sob as arcarias do segredo
hei-de levar-te a Compostela.
Mas suportará nosso silêncio badaladas
que tombam da torre Berenguela?
Sonho de peregrino esfarrapado,
o de guiar-te até meu berço
granítico, venustamente ornado
por azeviches, contas dum negro terço.
Sou um peregrino impuro:
irei para te amar, não para preces...
Mas se houver permanência em minha terra,
suplicarei que sempre por mim rezes!
Dos lençóis de palavras do meu leito
não se ergue a poesia sem mistério,
qual mulher amante do recato,
ocultando a formosura de seu peito.
Enevoado permanece este enigma,
como única porta de acesso
a Santiago de Compostela,
burgo dos fins do medievo,
com júbilo amordaçado
nos versos que não escrevo...
Homem que no caminho sempre erra,
sou peregrino pouco puro.
Vim para te amar, não para preces.
 Após a permanência em minha terra,
suplico-te que sempre por mim rezes!

 p.61

Tito Iglesias. Poeta em Português de nacionalidade espanhola, residente em Paço d'Arcos (Lisboa), de teor surrealista, com larga vivência no Brasil. Membro da Academia Brasiliense de Letras.
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano