:::::::::::::::::::::::SOARES FEITOSA:::::
ANTOLOGIA DE POEMAS
Mergulho

Ela corria pela ravina
quand’eu lhe gritei:
desce, amor, sou eu.

Ela me perguntou:
o que me trazes,
o que me ofereces?


Trago no meu corpo
o perfume da terra áspera,
o cheiro da terra
na primeira neblina,
para ti eu trago.


Nos meus olhos,
o fruto amanhecente
numa aurora de ouro,
às tuas narinas,
eu trago o fruto.

Trago também, só para ti eu trago
o furor da tempestade,
o tremor do vento do deserto,
que de dia é quente,
que de noite é frio,
e aos teus cabelos não negarei
o arrepio
nem o mergulho,
não negarei...

E na ponta dos meus dedos
um dedilhar suave,
uns tons de sol,
uns tons de lua:
esquadrinharei todo o teu rosto,
pétala a pétala,
numa manhã de rosa.

— Agora vem! Desce, amor!

Foi quand’ela saltou,
desequilibrou-se, nem sei,
de despenhadeiro abaixo,
e suavemente, pela cintura,
nos pousamos:
eram touceiras azuis
dos manjericões de cheiro.

Salvador, Ba, noite leve, 31.10.1995

soaresfeitosa@secrel.com.br

Editor do Jornal de Poesia:
http://www.jornaldepoesia.jor.br/

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano