Mário Dirienzo
"PAULO: ENTRE A LEI E A GRAÇA"

Introdução

Paulo de Tarso é personagem central do cristianismo. Talvez seja, depois de Jesus, a figura mais importante no desenvolvimento do cristianismo. Paulo de Tarso era um apóstolo diferente dos demais: não conheceu Jesus pessoalmente e era um homem culto, enquanto que os outros apóstolos, que haviam convivido com Cristo, eram pescadores ignorantes. Paulo foi educado em duas culturas, a grega e a judaica, e, mantendo a fé judaica, tinha cidadania romana, por isso, fez muito pela difusão do cristianismo entre os não-judeus. Podemos afirmar que, graças a Paulo, o cristianismo deixou de ser apenas uma seita judaica, tornando-se uma nova e universal religião.

Tornando-se figura de proa da fé cristã, Paulo, a princípio, era um perseguidor do cristianismo; perseguia os judeus de cultura grega que procuravam difundir o cristianismo em Jerusalém. Como defensor da tradição judaica, foi enviado a Damasco para enfrentar a agitação provocada pelos “helenistas”. Mas, durante a viagem a Damasco, aderiu ao cristianismo.

Analisar a figura do apóstolo Paulo, seu pensamento, a repercussão de suas idéias, eis o objetivo destas linhas. Para tanto, é mister apresentar os pontos de vista pelos quais é vista a vida e a obra dessa figura proeminente de nossa civilização.

Começarei pela oposição mais radical feita a Paulo, a de Nietzsche, para depois seguir os traços que delineariam um perfil positivo do apóstolo, apesar de certas ressalvas a muitos tons que se infiltram no fluxo de seu discurso, terminando com um balanço de seu pensamento e das implicações dele na nossa vida espiritual e cultural.

Introdução
A Detração de Nietzsche
Dualidade e Dualismo
O Reverso da Medalha
Entre a Lei e a Graça
Um Legado, Dentro e Fora do Templo
O Caminhante de Damasco e Sua Sombra
Bibliografia
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano