Inácio Nunes

Palacete de José Maria Ramalho Perdigão

Introdução

Este trabalho incide sobre o antigo palacete de José Maria Ramalho Dinis Perdigão e vai incidir essencialmente na sua arquitectura oitocentista que foi planificada pelo arquitecto-cenógrafo Giuseppe Cinatti, em que a proposta foi construir o palácio à maneira romântica e com base na tipologia dos palácios existentes em Lisboa, onde o Senhor José Maria Ramalho Perdigão viveu a maior parte da vida, e quis transpor este tipo de arquitectura para a construção do seu palacete em Évora, pois é descendente de uma família de agricultores abastados e proprietários de várias terras agrícolas no Distrito de Évora.

Os dois primeiros proprietários do palácio, o Senhor José Maria Ramalho Perdigão e o Dr. Francisco Barahona, mandaram construir este edifício como forma de mostrar à sociedade que tinham o estatuto social elevado. Com a sua localização perto da entrada da cidade mostrava a sua verdadeira magnificência ostensiva. E ainda, próximo do jardim idealizado por Cinatti que servia para lazer e descontracção da sociedade elitista eborense no século XIX.

José Maria Ramalho Perdigão foi também um grande gestor agrícola enquanto lavrador e proprietário de vastíssimas herdades espalhadas pelo Concelho de Évora e Portel, assim como um grande renovador da agricultura.

Vista lateral do Palacete Barahona ( Século XIX)

 

 


 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano