Inácio Nunes

Palacete de José Maria Ramalho Perdigão

Conclusão

Posso concluir, afirmando, que este palacete oitocentista, que fez perdurar a sua fisionomia arquitectónica de uma beleza oponente e rara, é um magnifico exemplar construtivo da segunda metade de oitocentos, inserido no conjunto monumental da cidade de Évora, Património Mundial da Humanidade.

O lavrador José Ramalho Perdigão investiu neste palacete como forma de demonstrar à sociedade eborense o seu estatuto social.

O edifício, até hoje, teve vários proprietários que lhe deram vários usos das suas instalações interiores, desde o lavrador até à empresa seguradora “ A Pátria”, a “ Mundial Confiança”, hoje “Fidelidade Mundial “ passando pelo Dr. Barahona.

 

 


 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano