ANTÓNIO CABRITA
O SEBASTIÃO DE XIPAMANIME VISITA SOMMERSCHIELD

Abençoada cidade de uma indolência

pagã, onde o látego e a beleza desfrutam

infância comum, cama e roupa rasgada.

Cidade tão dúbia que milhentos guardas

nela florescem, cambados de sono.

 

Era nisso que se baseava. O Sebastião

de Portugal montou sobre um cavalo

branco ajaezado de verde com esmaltes

de ouro - na sua última batalha. Este,

galã de Xipamanine, d´emboscados

 

olhos verdes numa tez cafusa, também

obrou prodígios, e quando hoje tornou

com correntes e cordas para aceder

do telhado ao terceiro esquerdo

não contava que o espanhol estivesse

em casa e o empurrasse da varanda,

ajaezado de tormentas, com esmaltes

no grito, os membros desaparafusados

por invisíveis cavalos que lhe

abalaram a confiança entorpecente.

de “Piripiri Suite”
António Cabrita nasceu no Pragal a 16 de Janeiro de 1959. Em 1979 publicou Oblíqua Visão de um Cristal num Gomo de Laranja ou Perene o Sangue que Arrebata os Anjos Vingadores. Parte considerável da sua obra poética está reunida em Arte Negra, livro de 2000 publicado pela Editora Fenda. Crítico de cinema e crítico literário no Expresso, António Cabrita é também editor das edições Íman, director da revista Construções Portuárias, autor de contos e argumentos para cinema.
 
 
 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano