Chronica do senhor rei D. Pedro I oitavo rei de Portugal
*CAPITULO XXV* _Como se partiu o almirante de Portugal com as dez galés, e como el-rei Dom Pedro desarmou a frota; e de outras cousas_.

Havendo seis dias que el-rei de Castella estava em Alicante, e vendo que a armada de Aragão não apparecia, partiu d'aquelle logar e veiu-se para Cartagena. E alli disse o almirante de Portugal a el-rei, que seu senhor, el-rei de Portugal, lhe mandára que estivesse com aquellas suas dez galés tres mezes, onde quer que o elle mandasse, e que pois os tres mezes eram já passados, que não ousaria mais de estar alli, nem passaria mandado de seu senhor.  

El-rei Dom Pedro, quando isto ouviu, pezou-lhe muito, cá não quizera que tão asinha partira, e não podendo fazer que se tivesse alli mais, deu-lhe licença que se fosse.  

E como se as galés de Portugal partiram, accordou el-rei de deixar a frota e ir-se por terra para Castella, e mandou as galés todas a Sevilha, e deu logar ás náus que se partissem, e elle veiu-se para Outerdesilhas, onde estava Dona Maria de Padilha, madre de seus filhos.  

As galés de Aragão, como souberam que el-rei de Castella desarmara a frota, desarmaram elles trinta galés suas, e deixaram dez que andassem pelo mar, por fazer damno a alguns navios de Portugal ou de Castella: e foi assim que o fizeram a alguns, mas poucos porém, e em pequenos navios.

N'esta sesão, no mez de setembro, o conde Dom Henrique, e Dom Tello, seu irmão, e alguns fidalgos e cavalleiros de Aragão até oitocentos de cavallo, entraram por Castella por terra de Agreda, e Dom Fernando de Castro e João Fernandez de Hinestrosa, e outros, que estavam na fronteira da comarca de Almaçan, com uns mil e quinhentos de cavallo, sairam a elles. E foi de tal guisa que pelejaram a cerca de Moncayo. E foi vencido Dom Fernando de Castro, e morto João Fernandez de Hinestrosa, e outros bons fidalgos, e preso Inigo Lopez de Orosco, e outros.  

A el-rei Dom Pedro pezou d'isto muito, e seus inimigos cobraram grande esforço; e mandou n'este anno matar em Carmona, onde estavam presos, Dom João e Dom Pedro, seus irmãos, filhos d'el-rei Dom Affonso seu padre, e de Dona Leonor Nunez de Guzman: era Dom Pedro de quartoze annos, e Dom João de dezenove, moços innocentes que nunca lhe mal mereceram.

E por aso d'estas mortes, e outras muitas que tendes ouvido, era el-rei Dom Pedro tão mal quisto de todos, e havendo d'elle tamanho medo, que por ligeira cousa se partiam d'elle, e se iam a Aragão para o conde Dom Henrique. Assim como fez Diego Perez Sarmento, e Pero Fernandez de Velasco, e outros, com muitas gentes que comsigo levaram; em tanto, que o conde disse a el-rei de Aragão que se quizesse ordenar uma boa companhia de gente, que elle entraria com elles por Castella, e que entendia de não achar quem lhe puzesse a praça: e quizera el-rei, de boamente, que se fizera, mas que levara o infante Dom Fernando, seu irmão, a capitania d'elles, e o conde Dom Henrique não quiz, e por tanto se não fez d'aquella vezada.

 
 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano