DIDINHO

POEMAS - INDEX

Sintinela ka ta durmi

Poeticamente

Semente

Sai Satanás, sai!

Chora, chora, Mãe Guiné...

Era uma vez um povo...

A ponte

Pátria minha

Beto meu irmão

Minha terra, meu umbigo...

És mãe

Este Natal seria diferente...

Em memória de Valeriano Luiz da Silva

Minha terra, meu umbigo...

Sei de onde vim

não sei para onde vou

Sei quando vim

não sei quando vou

Sei como vim

não sei como vou

Entre a vida e a morte

a carne e a cinza

a terra e o céu

a esperança me acompanha

para que a Guiné me receba

tal como vim

tal como desejo ir...

DIDINHO (Fernando Casimiro)
http://www.didinho.org/apoesiadefernandocasimiro.htm

http://senegambia.blogspot.com/

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano