Agnelo Regalla

POEMAS - INDEX

Aquela lágrima de sangue

O eco do pranto

Mulher

Se um dia

Flor nocturna

Amar

Átomo

Se um dia

Se um dia

Dos teus lábios suaves

O sorriso lentamente se apagasse,

E a tua voz que me afaga

Morresse silenciosa

Qual voo de um pássaro

No horizonte

Se de teus olhos amêndoa

Nascesse uma só lágrima

De tristeza

Rolando em teu rosto

De menino de savana

A revolta contida em meus braços

Apunhalaria

O mais profundo das entranhas

Do racismo mascarado

E da sua morte

Nasceria uma flor

Em madrugada de sereno

Que tuas mãos colheriam

No gesto simples

De me acarinhares.

In: Antologia Poética da Guiné-Bissau, Editorial Inquérito, 1990

Agnelo Regalla. Nasceu em Campeane (Tombali), na Guiné-Bissau, a 9 de Julho de 1952. formou-se em jornalismo no Centro de Formação de Jornalistas em França. Desempenhou as funções de director da Radiodiodifusão Nacional, de director-geral da Informação do Ministério da Informação e integrou o Governo por duas ocasiões como secretário de Estado da Informação. Actualmente dirige a Rádio Bombolom.

http://www.didinho.org/agneloregallabiografia.htm

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano