COLECCIONAR COM F. FRADE
Especialmente na Guiné-Bissau*
Maria Estela Guedes
Centro Interdisciplinar de Ciência, Tecnologia e Sociedade
da Universidade de Lisboa (CICTSUL)

Vida e obra coligidas
Colecções de palavras
Colecções vivas
Por fim, a "língua das aves"
Bibliografia

Por fim, a "língua das aves"

É curiosa a actividade científica de Fernando Frade desenvolvida na qualidade de vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Além da análise da flora e fauna das águas de abastecimento, ele promoveu várias exposições de floricultura, e participou numa das mais importantes obras do Estado Novo, em Lisboa, a florestação da Serra de Monsanto, antes disso conhecida como "a peladinha" (Frade, 1940). Uma das exposições de floricultura decorreu durante a campanha Pró-Ave, de protecção às aves em Portugal. Em palestra proferida na Rádio Nacional, declara Fernando Frade a existência de uma língua das aves, uma vez que, escreve ele, os anjos falam pela boca das avezinhas. Este esotérico tema aflora aqui e ali nos textos do distinto zoólogo, às vezes mesmo nos títulos. É o caso de "Flores portuguesas, retomai o vosso lugar". Como diriam os Bons Primos da Maçonaria Florestal Carbonária, "Flores portuguesas, retomai o vosso canteiro".

Repetindo o que não longe escrevi, a ciência tem meios para criar espaços de comunicação próprios, que por vezes servem para transmitir informação supra-nacional. Se há diálogos clandestinos no texto normativo é porque não existe liberdade de expressão. Foi o que precisamente aconteceu durante o mais largo período de actividade de Fernando Frade, coincidente com os quarenta anos de governo de Salazar, caracterizados pela ditadura, com inerente repressão do livre pensamento próprio dos cientistas e outros intelectuais, através da censura, do exílio e da prisão.

Para complementar a minha comunicação a este colóquio sobre coleccionismo, também eu reuni uma colecção, a partir de outras, relacionadas com a Missão Zoológica da Guiné. É um catálogo das aves da Guiné-Bissau, em linha no TriploV (http://triplov.com/aves_guine_bissau). Tem a particularidade de as ilustrações das espécies serem selos na sua maioria, o que revela um campo de interacção entre a filatelia e a ciência, que foi atraente analisar, tanto mais que a filatelia da Guiné-Bissau parece conhecer no país mais espécies do que os ornitólogos...

 
   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano