Carlos Roberto de Souza
ELMARA, UMA ARTE INFINITA

Machado é uma cidade privilegiada de grandes artistas. Mesmo com a difícil tarefa de conseguir patrocínios e expor as suas obras, eles lutam pelo o seu objetivo. O fanzine Episódio Cultural foi conhecer um desses artistas, a jovem Elmara Helena da Silva, (22 anos) moradora do Bairro da Vila Conceição. Aos 12 anos, começou a fazer cartões em papel vegetal. Seis anos depois aprendeu a pintar em estilo abstrato. Posteriormente fez um curso em tecidos com a artista Dulcilene Gonçalves (diretora da UNIARTMA).  

Entre os professores que acreditaram em seu potencial estavam Regina Salles e a artista mencionada anteriormente. Em suas pinturas a óleo, percebe-se a influência de Salles. Alguns desses quadros como a “As Pirâmides” (sua primeira pintura abstrata); A Fênix, Natureza Morta, A Igreja e, Paisagem com Flôres, refletem momentos de profunda reflexão, alegria, misticismo e tristeza.

Elmara e sua mãe

  Seus trabalhos, incluindo pinturas em cerâmica, foram expostos no colégio Iracema Rodrigues, onde estudou. Professores, alunos e visitantes, ficaram muito surpresos. Meses depois, seus quadros foram exibidos na Feira da UNIARTMA (Praça Central); na Exposição do Atelier da artista Regina Salles (Casa da Cultura) e no CESEP, onde atualmente faz o curso de História. Há alguns meses ela escreveu um poema abstrato (baseado em seu quadro, “A Moto e o Sofá”).  

Entre os livros ela mencionou as biografias de Pablo Picasso e Frida Kahlo. “Sinto Muito” de Gabriel Chalita; “Educar com Oração” e “Pedagogia do Amor” de Rubem Alves. Seus filmes favoritos são: “Reflexo de uma Amizade”, “A Luta por uma Esperança” e “O Sorriso da Mona Lisa”. Ela já tem convites para expor em São Paulo no ano que vem.

 

Contatos e patrocínios: Rua Santa Teresa, 98. Fone: (35) 3295-3679 / Vila Conceição. Machado-MG 37750-000 /BRASIL

A pintura é uma arte infinita. Está sempre mudando. Há um campo, um céu, uma cor diferente que sempre aparece. Nunca é igual...” (Elmara H. Silva)

*Carlos é editor do Fanzine Episódio Cultural.

Carlos Roberto de Souza nasceu em Machado, sul de Minas Gerais em 1964. Aos 2 anos mudou-se com a família para São Paulo, vivendo lá até 1995. Aos 7 anos teve seu primeiro contato com a grande tela do cinema, causando-lhe um grande impacto. A partir desse dia o cinema passou a fazer parte de sua vida, não se limitando apenas a sua visualização. Em 2004 começou a pesquisar sobre a história do cinema de sua cidade natal. Em dezembro de 2005 lançou a REVISTA DO CINEMA MACHADENSE (1911─2005), com o apoio do comércio local (Gráfica Gilcav /38 páginas). A revista foi distribuída para várias instituições culturais como: Instituto Moreira Salles, Centro Cultural Banco do Brasil, Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro, Biblioteca Nacional do Rio, Faculdade Mackenzie, PUC de Campinas, Biblioteca Mário de Andrade...

Também divulgou a revista para pessoas ligadas ao cinema e teatro como: Arnaldo Jabor, Rubens Ewald Filho, Máximo Barro, Braz Chediak, José Mojica Marins, Ivan Cardoso, Nelson Rodrigues Filho, Luís Carlos Barreto, Maurício de Souza, entre outros. Atualmente Carlos está escrevendo dois livros: “ O lobisomem deAuschwitz” e “ O labirinto do Terror”, com o pseudônimo (Agamenon Troyan ).

O primeiro narra a estória de dois irmãos gêmeos que após serem usados como cobaias pelo Dr. Mengele, acabam passando por uma horrível mutação, a Licantropia. Já o segundo é uma coletânea de contos de terror adaptados dos famosos “causos” do interior do Brasil, em especial, o sul do estado de Minas Gerais. Carlos também é editor do Fanzine Episódio Cultural, uma publicação bimestral abordando a cultura do sul de Minas e de outras regiões. O fanzine é uma porta de entrada para que os artistas (amadores ou profissionais) possam divulgar as suas manifestações culturais.

Contatos: carlostvcdr@psa.ind.br . Carlostvcdr@yahoo.com.br

Carlostvcdr@gmail.com (35) 3295-6101 / residência

(35) 3296-9211 / 9213 / 9215 após às 14h / coml.

 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano