powered by FreeFind

 

 







FREI GIL - SÃO FREI GIL DE VOUZELA
S. FREI GIL ESPANHOL - S. FREI GIL DE SANTARÉM
GILVAZ - S. FREI GIL DE PORTUGAL
S. FREI GIL
Literatura Egidiana
http://triplov.com/letras/frei_gil/
 
ALFONSO X, “Cantigas de Santa Maria”. Ed. de Manuel Ferreiro Fernández & Carlos Paulo Martínez Pereiro. Associación Socio-Pedagógica Galega, Vigo, 1996.
Em linha no TriploV: http://triplov.com/poesia/afonso_x/teofilo.htm

AMESCUA, Mira de, “El esclavo del Demonio”. Em linha no TriploV:
http://triplov.com/teatro/esclavo_del_demonio/index.htm

ANDRADE, Helena de Sousa e, Luís Lopes & Maria Cristina Neto, Sobre um relicário de S. Frei Gil. In: “Colóquio comemorativo de S. Frei Gil de Santarém”, actas. Org. da Associação dos Arqueólogos Portugueses, Lisboa, 1991.

BARCA, Calderón de la (1637) - El mágico prodigioso.

BERCEO, Gonzalo - De cómo Teófilo fizo carta con el diablo de su ánima et después fue convertido e salvo. Em linha:
http://triplov.com/poesia/gonzalo_de_berceo/index.htm

BRAGA, Teófilo, "Frei Gil de Santarém. Lenda faustiana da Primeira Renascença". Porto, Livraria Chardron, 1905.

BRAGA, Teófilo (conto do cavaleiro que fez pacto com o demónio).

CACEGAS, Fr. Luís, "História de S. Domingos em Portugal" (Reformada em estilo & Ordem & Ampliada em Successos & Particularidades por Frei Luís de Sousa em 1678), Introdução e Revisão de M. Lopes de Almeida, 2 vol., Lello & Irmão, Editores, Porto, 1977.

CARDOSO, Jorge (1612) - Hagiológio Lusitano.

CASTANHO, Arlindo José Nicau () - A construção da imagem do Fausto, de Cipriano de Antioquia a Fernando Pessoa. Artifara, n. 1, (luglio - dicembre 2002), sezione Monographica. Em linha no TriploV:
http://triplov.com/letras/frei_gil/castanho/index.htm

CASTELO BRANCO, Camilo, "Noites de Insónia".

CASTELO BRANCO, Camilo (1865) - O Esqueleto. Referência a Frei Gil de Santarém no Capítulo X.

CUSTÓDIO, Jorge, S. Frei Gil de Santarém, da Ordem dos Pregadores: Uma personalidade entre a lenda, a hagiografia e a história. In: “S. Frei Gil de Santarém e a sua época : catálogo”. Exposição organizada pelo Museu Municipal de Santarém. Santarém : Câmara Municipal, 1997.

FLOS SANCTORUM. Vida de todos os Santos e Martires do Cristianismo seguindo dia a dia, a ordem da sua comemoração pela Igreja . - Lisboa : Emp. da Historia de Portugal, 1909.

FONTES DOMINICANAS/Edição do Secretariado Provincial/Fátima, (25° Aniversário da Restauração da Província Dominicana de Portugal), tradução do latim do Frei Alberto Maria Vieira, 5 vol. 1 Opúsculos sobre os Origens da Ordem dos Pregadores, JORDÃO DA SAXONIA,1987. 2. Processo de canonlzação de S Domingos de Gusmão, Fundador da Ordem dos Pregadores, 1987. 3 Legenda de S Domingos, Pedro FERRANDO, 1988. 4 Legenda de S Domingos, Frei CONSTANT!NO de ORVIETO, 1988. 5 AS VIDAS DOS IRMÃOS, por fr Gerardo de FRANCHET, Fátima, 1990.

FORJAZ, A. Pereira, São Frei Gil e a Academia das Ciências de Lisboa. Boletim da Academia das Ciências de Lisboa, XXXVII, 1965: 277-293.

FRACHET, fr. Gerardi, O.P., Vitae Fratrum Ordinis Praedicatorum, (necnon Cronica Ordinis Ab Anno MCCII usque ad MCCLIV, ad fidem codicum manuscriptorum accurate recognovit notis breviter illustravit Fr. Benedictus Maria REICHERT O.P.), Lovanii, 1896. Idem, Roma e Stuttgardiae, 1897. Idem, edição manuscrita, Massiliae, 1875 - (encontra-se na Biblioteca de S. Stephani Salamantini - Ord. Praedic.).

GARRETT, Almeida, D. Branca: Poema em dez cantos (1826). Colecção «Obras completas de Almeida Garrett», vol. V - Lisboa: Empreza da Historia de Portugal, 1904.

GARRETT, Almeida, "Viagens na minha terra".

GELABERT, Miguel, e MILAGRO, José Maria, Santo Domingo de Guzmán - visto por sus contemporâneos - Su Vida. Su Orden. Sus Escritos, 2a edição, Madrid, Biblioteca de Autores Cristianos, nº22, 1966.

GIL, S. Frei, "Vitae Fratrum". In Carlos Lino Seabra. 16 textos.

GOMES, Pinharanda, Frei Gil de Santarém e o mito sebastiânico. In: “Colóquio comemorativo de S. Frei Gil de Santarém”, actas. Org. da Associação dos Arqueólogos Portugueses, Lisboa, 1991.

GRAVE, João, "S. Frei Gil de Santarém - O Homem do Diabo e de Deus" - 2a edição, Porto, Edições Lello & Irmão, Colecção "Revivendo" nº30, 1926.

GUEDES, Maria Estela (2005) - S. Frei Gil, um santo carbonário. Em linha:
http://triplov.com/ista/retratos_de_familia/frei_gil/index.htm

GUEDES, Maria Estela (2005) - S. Frei Gil em cinema. Em linha:
http://www.triplov.com/macedo/frei_gil/

HINNEBUSCH, W .A., Breve História da Ordem dos Pregadores, Porto, Secretariado da Família Dominicana, Livraria Figueirinhas, 1985.

KAEPPELLI, Thomas, Scriptores Ordinis Praedicatorum Medii Aevi, vol. 11°,
Roma, 1975.

LEITE, José (organização), Santos de Cada Dia, 3 vol., Braga, Secretariado Nacional do Apostolado da Oração, 1985.

LLORCA, Bernardino, Manual de História Eclesiástica, 10 e 11° vol., tradução de Bemardo Xavier Coutinho, Porto, Edições ASA, 1960.

JOÃO, Frei Baltazar de S., "A Vida do bem-aventurado Gil de Santarém". Vide Aires do Nascimento.

MACEDO, António de (2004) - As Furtivas Pegadas da Serpente. Editorial Caminho, Lisboa. Romance.

MACEDO, António de (2004) - Frei Gil faustiano ou Fausto egidiano? Em linha no TriploV:
http://triplov.com/macedo/index.htm

MATOS, Manuel Cadafaz de, S. Frei Gil, do scriptorium universitário de Coimbra e de Paris ao renomado túmulo escalabitano. In: In: “Colóquio comemorativo de S. Frei Gil de Santarém”, actas. Org. da Associação dos Arqueólogos Portugueses, Lisboa, 1991.

NASCIMENTO, Aires Augusto do, "A Vida do bem-aventurado Gil de Santarém, por Fr. Baltazar de S. João", INIC, Lisboa, 1982.

NASCIMENTO, Aires Augusto do, Frei Gil de Santarém, o Fausto português. In: “Colóquio comemorativo de S. Frei Gil de Santarém”, actas. Org. da Associação dos Arqueólogos Portugueses, Lisboa, 1991.

OLIVEIRA, António Correia d', “Tentações de Sam Frei Gil”. Ferreira & Oliveira Lda Editores. Lisboa, 1907.

OLIVEIRA, João, "Frei Gil de Portugal, Médico, Teólogo e Taumaturgo". Vouzela, Edição da Comissão do Centenário de S. Frei Gil, 1973.

OLIVEIRA, Miguel, História Eclesiástica de Portugal, 3a edição, Lisboa, União Gráfica, 1958.

PEREIRA, Virgínia da Conceição Soares, Aegidius Scallabitanus de André de Resende: Um diálogo sobre Frei Gil de Santarém. Estudo Introdutório, edição crítica, tradução e notas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2000.

PINTO, Silva, "S. Frei Gil" (Notas históricas). Lisboa, 1903.

QUEIRÓS, Eça, “Lendas de Santos”, Ed."Livros do Brasil", Lisboa, pp. 231-291 "S. Frei Gil", s/d.

RAMALHO, Américo da Costa, "A Conversão Maravilhosa do Português D. Gil" - um diálogo latino quase ignorado - da autoria de André de Resende. Revista da Universidade de Coimbra, XXVII, 1979: 239-262 il..

RASTEIRO, Alfredo, “O ensino médico em Coimbra – 1131-2000”. Coimbra, Quarteto Editora, 1999.

RESENDE, André de (1586) - Conversio Miranda D. Aegidii Lusitani (1586).

ROSÁRIO, Fr. Diogo do, Flos Sanctorum, vol. V. Lisboa, 1870.

RUTEBEUF, " Le miracle de Théophile". Em linha no TriploV:
http://triplov.com/poesia/rutebeuf/index.htm

SALVADORES, João José Gallego, São Frei Gil de Santarém: História e Lenda. In: “Colóquio comemorativo de S. Frei Gil de Santarém”, actas. Org. da Associação dos Arqueólogos Portugueses, Lisboa, 1991.

SEABRA, Carlos Lino, "São Frei Gil de Vouzela, um escritor medieval português". Ed. Câmara Municipal de Vouzela, 1996.

S.L.F., "S. Frei Gil", Lisboa, Tipografia Inglesa (católica), 1938.

SOUSA, Frei Luís de, "istória de S. Domingos". Livro II, primeira parte, capítulos XIII-XXXV, Porto, Lello & Irmão, Editores, 1977. Ver: CACEGAS.

VÁRIOS, Enciclopédia Luso Brasileira de Cultura, 21 volumes, Lisboa I S. Paulo, Editorial Verbo, 1963 (10 vol.)-1986 (210 vol.). (o artigo sobre "Gil de Santarém" encontra-se no 9° vol., colunas 508-509, de autoria de A. do ROSARIO, 1969).

VÁRIOS, S. Domingos e a Ordem dos Pregadores, Lisboa(?), Edição do Secretariado da Família Dominicana/Porto, 1989(?).

VIEIRA, Padre António () - História do Futuro, Vol. I, capítulo VIII:
S. Frei Gil, religioso português da ordem de S. Domingos, (de cujo espírito profético se dará notícia em seu lugar) diz assim: Lusitania sanguine orbuta regio diu ingemiscet; sed propitius tibi Deus insperate ab insperato redimet: «Portugal por orfandade do sangue de seus reis, gemerá por muito tempo; mas Deus lhe será propício e, não esperadamente, será remido por um não esperado.»

   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano