.......
MARIA AZENHA
Mestre sem morte
 

 

 (a Herberto Helder)

 

 

 

Entre as mãos uma acácia
Moedas de silêncio
O sangue de um compasso
E a terra alva

 

A altura da sombra
Ocupa o negro da página

 

Desaba
Um verso secreto
Do palácio

 

O poema
Foi devorado
Pelos olhos de um falcão

 

 

 

 

 

 

maria azenha

 
Herberto Helder no Triplov

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano