VII Colóquio Internacional
"Discursos e Práticas Alquímicas"
LAMEGO - SALÃO NOBRE DA CÂMARA MUNICIPAL
22-24 de Junho de 2007
A Situação da Mulher na Maçonaria
Dival G. Costa

II - Algumas Mulheres Iniciadas Individualmente em
Lojas Maçônicas

A primeira menção histórica sobre mulheres na maçonaria operativa encontra-se, segundo Cryer, em 1693 no Manuscrito York nº 4 pertencente à Loja de York que relata quando um Aprendiz é admitido "os mais velhos tomando o Livro Sagrado, ele ou ela (sic) que devem tornar-se maçom colocam suas mãos sobre o mesmo e prestam o juramento".

Um dos mais famosos casos de uma mulher iniciada na maçonaria é o de Elizabeth St. Leger, filha de Lord Doneraile do Condado de Cork na Irlanda. Nasceu em 1693, faleceu em 1773 e casou-se com Richard Aldworth de New Market em 1713. Lá pelo ano de 1710, esta filha do Visconde de Doneraile, zeloso maçom que possuía uma loja regular no seu castelo na qual freqüentavam os elementos de sua própria família e irmãos da vizinhança e era devidamente registrada na Grande Loja da Irlanda. Ela conseguiu abrir um buraco na parede e assistir não só à reunião da loja como a iniciação do dia. Descoberta pelo cobridor externo que chamou os membros no interior da loja, notou que tinha assistido a todos os trabalhos do dia. Após considerável discussão foi aprovada a sua admissão na ordem, sendo iniciada e chegando a tornar-se Mestra da loja. Segundo o historiador maçônico irlandês Milliken foi iniciada na loja nº 95 que até hoje se reúne em Cork, contudo inexistem documentos de sua recepção na ordem. Aparecem, contudo, registros de sua assinatura no Livro das Constituições Irlandesas que veio à luz em 1744.

Pode-se citar mais um caso de espia através das paredes: o da senhora Harvard que foi, posteriormente, proposta como membro honorário e iniciada na Loja Paládio nº 120 em Hereford na Inglaterra em 1770. Esta loja ainda está no registro inglês.

As norte-americanas começaram a emular as inglesas em 1815 quando a senhora Catarina Babington, nascida em Princess Furnace no Kentucky se escondeu durante um ano e meio num quarto adjacente à loja, observando tudo que ocorria neste período. Desnecessário dizer que foi iniciada e prestou juramento!

O México também não fica atrás no tocante às questões da maçonaria feminina. Sua história maçônica é quase tão conturbada quanto sua história política. Depois de muitas brigas e conflitos foi, finalmente, fundada em 1890, a Grande Dieta Simbólica dos Estados Mexicanos, uma obediência maçônica que teve como Grão-Mestre o general Porfírio Diaz. Cinco anos mais tarde, o Grão-Mestre Canton foi acusado de estabelecer lojas femininas e de ter conferido graus a sua mãe e a sua mulher!

INICIATIVA:
Centro Interdisciplinar de Ciência, Tecnologia e Sociedade da Universidade de Lisboa (CICTSUL)
Instituto São Tomás de Aquino (ISTA)
www.triplov.org

Patrocinadores:
Câmara Municipal de Lamego
Junta de Freguesia de Britiande
Dominicanos de Lisboa

Fernanda Frazão - Apenas Livros Lda
apenaslivros@oninetspeed.pt

 
 
 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano